Scott Pilgrim Contra o Mundo

‘’Scott Pilgrim Contra o Mundo’’ chegou quase que por milagre a poucos cinemas da cidade de São Paulo. ‘Comovidos’ por uma campanha que começou com o site Cinema com Rapadura, os executivos da Universal tupiniquim resolveram dar uma chance ao filme e solta-lo em 3 salas da cidade para ver como seria a recepção. A sessão que eu compareci estava estranhamente cheia para um domingo às 10 e 30 da noite (mas vale dizer que eu não sou de frequentar cinemas domingo a noite, portanto minha opinião sobre a quantidade de pessoas na sessão pode não ser das mais confiáveis), e o público respondeu muito bem a mistura de HQ, game e cultura pop/nerd que é esse filme.

Baseado na HQ de mesmo nome do canadense Bryan Lee O’Malley, o filme acompanha a história de Scott Pilgrim (Michael Cera), adolescente de vinte e poucos anos que mora em Toronto, tem uma banda (a Sex Bob-Omb) e atualmente namora uma chinesa de 17 anos, Knives Chau (Ellen Wong). Sua vida vira de cabeça para baixo quando conhece a garota dos seus sonhos (literalmente), Ramona Flowers (Mary Elizabeth Winstead). Só que para ficar com ela, Scott terá de lutar contra seus 7 ex-namorados.

Grande parte do por que ‘’Scott Pilgrim’’ funciona tão bem é por que foi dirigido por um sujeito chamado Edgar Wright. Whright chamou a atenção dos cinéfilos ao redor do mundo com a paródia de filmes de zumbi ‘’Todo Mundo Quase Morto” (e se você ainda não viu esse filme, faça-o imediatamente). Para aqueles mais antenados, Whright foi um dos responsáveis pela igualmente fantástica mini-série britânica ‘’Spaced’’, outra produção recheada de refêrencia a video-games, filmes e tudo relacionado à cultura nerd. Todo esse furacão de referências funciona tão bem por que Wright entende sobre o que está sendo jogado na tela; quase que num nível inconsciente, nós sabemos que Wright passou horas jogando ‘’Street Fighter’’, ouvindo ‘’T.REX’’ e assistindo dezenas de filmes, e é por isso que quando vemos uma batalha de bandas virar um confronto entre dragões e gorilas, não ligamos para o absurdo da situação, apenas torcemos para os personagens.

E temos também o elenco, perfeitamente escalado. Não é incomum ouvir que Michael Cera interpreta sempre o mesmo personagen, o nerd loser porém cool que fica com a menina no final, e eu concordo com isso. Também não é incomum ouvir que filmes de ação de hollywood são todos iguais, mas quando um filme de ação de hollywood é bem feito, eu não tenho problema nenhum em dizer que gostei dele. E quando esse tipo de ‘’personagem Michael Cera’’ é bem usado, eu não tenho nenhum problema em dizer que Michael Cera É Scott Pilgrim. Cera carregada o filme muito bem, e parece surpreendentemente convincente tanto nas cenas mais dramáticas quanto nas cenas de luta. Eu nunca achei que ia dizer isso, mas Michael Cera sabe como chutar bundas. O resto do elenco está muito bem também, com destaque para Kieran Culkin, que vive o amigo gay e colega de quarto de Scott, Wallace Wells, e Mary Elizabeth Winstead (por quem eu me apaixonaria apenas pelos seus expressivos olhos), que dá vida a uma Ramona Flowers tão apaixonante quanto a da HQ. E fiquem atentos para uma cameo impagável de Thomas Jane e Clifton Collins Jr.

‘’Scott Pilgrim’’ ainda tem muitos outros pontos positivos. A trilha sonora, com músicas compostas por gente do gabarito de Beck e Broken Social Scene, os efeitos especiais e sonoros, com referências à Seinfeld, Zelda, Flash Gordon e todos os games de luta do Super Nintendo ou de como é surreal ver que a grande luta do ano não é a de fortões como Stallone ou Statham, mas sim de dois sujeitos magricelos como Michael Cera e Jason Schwartzman, ou de que podemos interpretar essa história não de como um cara lutando contra outros caras para ficar com uma menina, mas lutando contra si mesmo para superar relacionamentos passados e parar de ser um idiota….

Enfim, não vou ficar aqui escrevendo parágrafos e parágrafos de como esse filme é ótimo, apenas peço para que você apoie esse tipo de cinema e vá assistir ‘’Scott Pilgrim’’ hoje, o mais rápido possível.

Anúncios
Esse post foi publicado em resenhas e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Scott Pilgrim Contra o Mundo

  1. Matheus Mendes disse:

    O problema do filme(porque ele foi fracasso de bilheteria) é porque ele é direcionado a um público específico, tem que ser nerd, nascido nos anos 90, e conhecer games do Super Nintendo e Nintendinho.Aí sim, você vai estar apto para entender o filme.

  2. Mateusinho disse:

    Não assisti, quero assistir, e vou assistir. Talvez eu até compre o Dvd quando sair, mais só se valer a pena… sabe como é que é, né?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s