As Melhores Coisas do Mundo e Entrevista com Gabriela Rocha

Um filme nacional que conta a história dos adolescentes da classe média. Inspirado na série de livros “Mano”, de Gilberto Dimenstein e Heloisa Prieto, a diretora Laís Bodanzky junto com seu marido, o também roteirista, Luiz Bolognesi mostram as ansiedades, dúvidas, problemas e alegrias dos jovens de hoje.

Mano (Francisco Miguez), em sua jornada com seus melhores amigos Deco (Gabriel Ilanes) e Carol (Gabriela Rocha), vai a festas, descobre o sexo, drogas, a relação entre amor e ódio, traição, brigas familiares, problemas na escola e, ainda arruma tempo para aulas de violão com o professor Marcelo (Paulo Vilhena).

Os atores, digamos, com mais experiência, no caso Caio Blat, o já citado Paulo Vilhena e, a sempre incrível, Denise Fraga estão muito bem e dão a película certa credibilidade. Credibilidade tal que não seria perdida com os atores mais novos, que desempenharam seus papéis brilhantemente. Arrisco-me a dizer que foram melhores do que os produtores esperavam.

A participação de Fiuk é muito regular. É importante alguém de sucesso atual para a vendagem da película. O ator corresponde bem às expectativas.

A fotografia do filme é espetacular, ainda mais para quem vive em São Paulo e convive com estas paisagens todos os dias e, ao certo, muitas vezes, nem se dá conta da beleza da cidade.

A trilha sonora também não deixa nada a desejar. É importante saber que, o que se passa no filme, não foi decidido por mero acaso. Os produtores, diretora e roteirista fizeram uma pesquisa árdua para entender melhor a cabeça desta geração. Durante um debate após a estreia do filme, Bodanzky disse que a resposta mais comum dos jovens sobre gosto musical era: “Os Beatles, depois de sou bem eclético”, frisa.

O filme aborda temas relevantes para a sociedade em geral, além de excelente entretenimento.

Se ainda não viu, veja. Não há uma faixa etária estipulada, todos deveriam assistir a este filme e descobrir quais são as melhores coisas do mundo.

Entrevista com Gabriela Rocha, 17.

  • Gabriela você já havia feito algum outro filme antes?
  • Não, este foi o primeiro.
  • E como foi a seleção para participar do filme?
  • A produção visitou várias escolas de São Paulo, quem quisesse poderia participar do teste. Depois tiveram mais alguns. Eu fui passando e acabei no filme, assim como todos os atores adolescentes.
  • Podemos notar que há uma naturalidade muito boa na trama. Vocês se prendiam ao roteiro ou podiam improvisar?
  • A gente tinha que pegar a ideia principal, mas falávamos com as nossas palavras.
  • Qual a cena que você mais gosta?
  • Eu amo a cena dos ovos da Denise Fraga com o Francisco (Mano). Acho que ficou maravilhosa.
  • Diferente de outros filmes com adolescentes, neste, os atores têm a mesma faixa etária que os personagens. O que pensa a respeito?
  • Eu acho que ter a mesma faixa etária dos personagens faz muita diferença. Pessoas de 25 anos fazendo papel de 17 deixam meio falso.
  • Os outros atores que contracenam com você parecem ser bem próximos. Vocês são amigos hoje? Já eram antes?
  • O único que eu já conhecia era o Gabriel Illanes (Deco). O resto, nós nos conhecemos no processo de seleção ou nos ensaios e acabamos ficando amigos. Infelizmente a maioria perdeu o contato.
  • Apesar de certa dificuldade, notamos que você é paulistana. Você realmente tem esse amor pela cidade? O que mais gosta?
  • Eu AMO São Paulo, eu gosto de tudo, sou muito tiete.
  • O filme aborda assuntos relevantes na mídia, como o bullyng. Já esteve em alguma situação? O que pensa?
  • Eu nunca sofri bullying, mas eu acho que esse é um assunto que devia ter sido tratado mesmo no filme, porque merece importância, pois pode traumatizar uma pessoa pela vida inteira.
  • Outra questão é sobre o maior envolvimento dos jovens em questões sociais e culturais, com mais liberdade. Já que você faz parte dessa transição, conte-nos como anda este processo. Como você enxerga o jovem de hoje.
  • Acho que os jovens são sempre os mesmos, só mudam os brinquedos.
  • Para finalizar, como estão seus planos para o futuro? Quando os fãs irão ver você atuando novamente?
  • Por enquanto sem planos, só terminar o colégio esse ano.
Projeto educativo – http://www.warnerlab.com.br/asmelhorescoisasdomundo/site/projeto_educativo/index.html
Site oficial – http://www.warnerlab.com.br/asmelhorescoisasdomundo/site/
Anúncios
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

2 respostas para As Melhores Coisas do Mundo e Entrevista com Gabriela Rocha

  1. Eduardo Nepomuceno disse:

    Muito bom o filme! Só vem reforçar a minha idéia de que temos sim bons filmes produzidos no Brasil! Pude entrar no ambiente do filme, senti um pouco do que os personagens sentiram, pois pareceu tudo muito natural! Estão de parabéns e acredito que pode ser um bom material para ser mostrado e trabalhado nas escolas com a linguagem que o jovem entende!
    Espero ver mais filmes assim!

  2. MMrcesar disse:

    ela e uma garota muito linda e acho que tem muito talento para atriz!!!!!!!!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s